“Conquista histórica, abertura de mercado e novo impulso à pecuária do Amazonas”, Muni Lourenço/FAEA

Opinião/Informação:

Sem dúvida, um grande passo que integra o Amazonas ao Brasil do AGRO, ao Brasil da pecuária sustentável. Contudo, é sempre bom ressaltar que o Estado, assim como os produtores, precisam ficar atentos e honrar os compromissos com o Ministério da Agricultura, com a questão sanitária. Uma luta que vem desde os tempos do Dr. Eurípedes Lins, continuada pelo Muni e por vários gestores que ocuparam cargos no Estado e no âmbito do Governo Federal.

THOMAZ RURAL

Fonte: site da FAEA

O presidente da FAEA, Muni Lourenço, participou na manhã desta terça-feira (30), de um evento no Careiro da Várzea, organizado Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (Adaf) e que marcou a última Campanha de Vacinação contra Febre Aftosa no Estado. Outra celebração também foi realizada no município de Itacoatiara. A solenidade de encerramento ocorreu na Fazenda Cruzeiro, no Careiro da Várzea. Já em Itacoatiara, a celebração foi no Distrito de Novo Remanso.

Na ocasião Muni Lourenço ressaltou a abertura de mercado e novo impulso que a pecuária amazonense terá com a obtenção do status sanitário unificado em todo o Estado.

De acordo com a Adaf, a partir desta quarta-feira, 1° de maio, a venda e estoque de vacinas contra febre aftosa estão proibidas, segundo determina a Portaria 665, do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa). Os pecuaristas devem, ainda, notificar obrigatoriamente a vacinação junto a um escritório da agência até o dia 15 de maio.

Conquista histórica

O Mapa publicou, no dia 21 de março, no Diário Oficial da União (DOU), a portaria nº 665 em que reconhece nacionalmente o Amazonas como livre de febre aftosa sem vacinação.

Embora já tenha sido publicada, a determinação só entra em vigor a partir do dia 02 de maio de 2024, sendo obrigatória a vacinação ainda na campanha iniciada no mês de março.

Antes da publicação no DOU, o anúncio do novo status do Amazonas foi feito no dia 29 de fevereiro pelo Ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, ao governador do Estado, Wilson Lima, durante reunião em Brasília, na qual estava presente, o presidente da FAEA, Muni Lourenço.

A conquista é considerada histórica pela classe produtiva rural do Amazonas. “O anúncio feito ao Governador pelo Ministro da Agricultura, Carlos Favaro, representa um momento histórico, um dia muito aguardado por todos nós e que abre novos horizontes para pecuária de nosso Estado”, declarou na ocasião, Muni Lourenço.

Antes desta conquista, apenas 13 municípios, todos do Sul do Amazonas, estavam nesta condição (livre de febre aftosa sem vacinação): Apuí, Boca do Acre, Canutama, Humaitá, Lábrea, Manicoré, Novo Aripuanã, Pauini, Guajará, Envira, Eirunepé, Ipixuna, Itamarati e parte de Tapauá.

Texto: ASCOM – Faea Senar Fundepec/AM

Foto: Divulgação/ADAF

[email protected]

https://www.facebook.com/sistemafaeasenar

@sistemafaeasenar

Participe do nosso grupo no Whatsapp e seja o primeiro a receber as notícias do blog ThomazRural!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Participe do nosso grupo no Whatsapp e seja o primeiro a receber as notícias do blog ThomazRural!


%d blogueiros gostam disto: