Editorial de ÀCRÍTICA acertou no alvo…confirma a necessidade de mudanças

Continua após a publicidade..

Opinião:

Concordo com todas as letras desse editorial de ÀCRÍTICA. Deveria ser lido por todo amazonense, pois nele está a nossa dura verdade, nossa dura realidade. Sinceramente, até parece que foi eu que escrevi, mas não foi. Escrevo no querido JC há 20 anos, mas parabéns ao jornal ÀCRÍTICA por colocar os PINGOS NOS IS na SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL de quem aqui vive.

Continua após a publicidade..

O governador Wilson Lima veio da Rede Calderaro, onde faz parte o jornal, então, deveria ler esse editorial e providenciar, urgentemente, mudanças na estrutura administrativa para os próximos três anos de governo. O que está nesse editorial é a pura verdade, e tem três anos para mudar esse quadro fazendo o feijão com arroz.

A mais urgente é na área ambiental, onde temos um patrimônio de trilhões/ano (floresta em pé), ajudamos o mundo a respirar e nada ganhamos com isso. Os doutores só jogam a solução para o futuro. Isso já vem desde 2003, e foi a mesma coisa na recente COP. Esperar o futuro é simples para quem tem renda, mas quem está incluído no editorial de ÀCRÍTICA certamente nunca foi e nunca será fácil aguardar 2030.

Outro ajuste é no Sistema SEPROR, está muito político, pouquíssimo técnico. Não dá certo as vinculadas terem uma indicação (diversa) que não passa por aval do titular da pasta.

Continua após a publicidade..

Não há o necessário diálogo entre a SEMA e a SEPROR. Como não conversam, e já faz tempo, penso que unir as estruturas sob apenas um comando poderia ser uma tentativa. Desde que o comando não tenha origem na FAS, porque já estão há mais de 10 anos na pasta e o quadro que chegamos, apesar dos trilhões que vale a floresta, está tristemente registrado no editorial abaixo. Já chega! Nem ZEE fizeram! Tem muita gente boa na UFAM, UEA e nos próprios Sistemas SEMA e SEPROR. Conheço três na UFAM, e dois no IDAM com total capacidade para tocar a área ambiental do Amazonas, caso continue separada da SEPROR, pois sei que tem diálogo com o setor produtivo. Talvez eles não tenham a capacidade de captar recursos internacionais, mas certamente aprenderão o caminho e saberão adotar caminhos que melhore o triste e inaceitável quadro em que nosso povo chegou, que está confirmado pelo IBGE e relatado no editorial abaixo.

Pelos recentes acontecimentos, também tem outras áreas que precisam ser oxigenadas. O presidente Lula, com menos de um ano, já está fazendo a sua primeira reforma ministerial.

Aqui deveria seguir esse caminho.

Continua após a publicidade..

THOMAZ RURAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



%d blogueiros gostam disto: