Isso foi em 2009, COP-15, na Dinamarca. O que mudou? NADA! Veja qual foi o discurso do Amazonas…

Continua após a publicidade..

Opinião:

A postagem feita pelo senador Eduardo Braga (abaixo) confirma que nada mudou nos últimos 20 anos. Em 2009, 14 anos atrás, ele mesmo, em discurso na COP-15, na Dinamarca “…explicou que a floresta vale mais em pé…”.

Continua após a publicidade..

Ele também afirmou, em 2009, na COP 15 (já estamos na COP 28), que o tão falado “mercado de carbono havia movimentado em 2008, cerca de US$ 118 bilhões de dólares” mas que não havia chegado no Amazonas.

Estamos em 2023, COP-28, 14 anos após 2009, chego a seguinte conclusão:

  • Nos dois mandatos do governador Eduardo Braga a floresta já era valiosa, mas nenhum centavo caiu no bolso de quem preservou até hoje. O Bolsa Floresta de miséria, para poucos, foi de R$ 50 reais por longos anos. Em se tratando de floresta, é bom lembrar que teve como secretário de meio ambiente o Dr. Virgílio Viana, que saiu da secretaria e assumiu a FAS, que começou como AmaZONAS, agora é AmaZÔNIA. A mesma que a CPI confirmou que a FAS recebeu R$ 400 milhões em 14 anos, começou com aporte público de R$ 20 milhões. E nada de crédito de carbono até HOJE;
  • Passou OMAR, MELO e nada mudou, miséria de Bolsa Floresta e nada de crédito de carbono, de REDD+ e de concessão florestal. Aumentando a pobreza, caboclo preservando e o narcotráfico entrando…
  • Em 2019, assumiu o governador Wilson Lima com metade do estado na pobreza, colocou na SEMA mais um gestor da FAS, que está até hoje. A FAS que está recebendo mais 78 milhões do banco alemão KFW com apoio do Estado;
  • Em 2023, o bolsa miséria aumentou para 100 e para poucos, e nada de crédito de carbono, REDD+ e concessão florestal;
  • Em síntese, a área ambiental do Amazonas, apesar dos trilhões que vale a floresta em pé, não foi competente para mudar a vida de quem nela e dela vive (a floresta). E na atual COP-28 continua jogando a solução para o FUTURO. Será que ninguém enxerga isso?
  • Será que ninguém enxerga que os milhões captados ao longo desse vinte anos em nada mudou a realidade do caboclo, só a pobreza aumentou?
  • O governador Wilson Lima tem mais três anos para ter a coragem, que outros não tiveram, para mudar o comando da área ambiental do Amazonas e colocar doutores da UFAM, UEA ou engenheira florestal que trabalha e é concursada no IDAM (são opções), ou outros engenheiros florestais que estão no sistema SEPROR e até mesmo da SEMA;
  • O que estão aí já tiveram mais de uma década de oportunidade, e nem ZEE fizeram. Hoje, o Serafim Correa de pires nas mãos atrás de recursos para fazer o ZEE;
  • Por falar em ZEE, soube que ontem, na reunião do comitê do ZEE, o secretário de meio ambiente de Codajás declarou que o município perdeu um investimento privado porque o estado não tinha o ZEE. E agora, quem paga essa conta?

THOMAZ RURAL

Continua após a publicidade..

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



%d blogueiros gostam disto: