OCB-AM e SEMIG focam no cooperativismo da mineração para evitar que o estado deixe de arrecadar 1,5 bilhão e gere renda no interior

Continua após a publicidade..

Opinião:

Recentemente, na Assembleia Legislativa do Amazonas, participei de debate que tinha como foco às compras públicas. Era encontro promovido pela FRENCOOP e Sistema OCB-AM. Em determinado momento, entrou em debate o cooperativismo e a mineração no Amazonas. Ontem, tomei conhecimento de reunião entre a OCB-AM e a SEMIG-AM (Secretaria de Energia, Mineração e Gás do Amazonas). De imediato, entrei em contato com o presidente da OCB-AM, José Merched Chaar, para saber as tratativas nessa pauta de grande importância para a economia do estado, pois tem grande potencial de geração de emprego e renda, como já existe em outros países. Como sempre muito atencioso e solicito, o presidente da OCB-AM me mandou o seguinte relato: “…almocei com o titular da Secretaria de Energia, Mineração e Gás do Amazonas, SEMIG – AM, Secretário Ronney, e sua Chefe de Gabinete, Sra. Lia Chagas. As portas do Sistema OCB-AM foram abertas para a nova SEMIG, e já garantimos apoio à criação de cooperativas de trabalhadores da mineração em locais onde haja licenciamento ambiental para esta prática. Esta, amigo Thomaz, é uma atividade que demanda muita segurança em toda sua cadeia produtiva, desde a extração, até a comercialização final nas agências da Caixa Econômica. Por baixo, o Estado do Amazonas deixa de arrecadar anualmente, 1,5 bilhão de reais com receita tributária, por conta do comércio ilegal do ouro extraído e contrabandeado no Amazonas. Assumimos o compromisso de planejar, juntamente com o Secretário Ronney, visitas à garimpos de Rondônia, assim como aos locais de beneficiamento e comercialização do metal...”.

A reunião também teve a presença da superintendente da OCB-AM, Claudia Sampaio. O Amazonas com 60% da população na pobreza, com aperto no orçamento, não se dar ao luxo de deixar de arrecadar R$ 1,5 bilhão.

Continua após a publicidade..

Com tanto satélite, não pode se dar ao luxo do comércio ilegal de ouro.

Em síntese, precisamos de tirar do papel as nossas potencialidades com total respeito à sustentabilidade, mas também com respeito às pessoas que aqui vivem.

É mais uma ação de grande importância da OCB-AM.

Continua após a publicidade..

THOMAZ RURAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



%d blogueiros gostam disto: