Mais uma investida das ONGs na imprensa local para continuar isolando o Amazonas e seus habitantes. Até quando?

Continua após a publicidade..

Minha Opinião:

Mais uma vez, várias ONGs entram em ação, via imprensa local, colocando a BR-319 em pauta. Várias dessas ONGs receberam milhões do Fundo Amazônia e nada fizeram para tirar o Amazonas do isolamento do restante do Brasil, nada fizeram para reduzir a pobreza no estado, que só aumentou e já chega em 60%. Nem ZEE (Zoneamento Ecológico Econômico) sequer lembraram de fazer, ou melhor, não querem fazer.

Continua após a publicidade..

E uma delas, que faz parte do Observatório da BR 319, a FAS, está recebendo novos R$ 78 milhões de um banco alemão. Até agora não vi um deputado estadual questionando o destino desses R$ 78 milhões para a FAS operar o FUNDO FLORESTA com aval do Estado, isso que é pior. Sabendo que o banco alemão conversou com IDAM, gostou, mas está mandando a grana para a FAS. Só não enxerga quem realmente não quer ver. Lá se vai 20 anos de enrolação. Até quando?

Não defendo ilegalidades, mas duas décadas sem solução é brincar demais com nossa população.

Abaixo, transcrevo manifestação do professor Marcos Maurício

Continua após a publicidade..

“Por: Professor Marcos Mauricio

Novamente não me surpreendeu o posicionamento da Senhora Marina Silva, ministra do Meio Ambiente, ao atribuir, nesta última quarta-feira, 9, à Rodovia BR-319 a culpa pelo aumento do desmatamento no entorno. Reitero o que escrevi, hoje, em alguns grupos de WhatsApp em defesa da repavimentação da BR-319, no sentido de que a ministra Marina, ao invés de buscar culpados pela inoperância estatal, deveria comentar acerca das condicionantes insculpidas no EIA, além de acompanhar os desdobramentos decorrentes da elaboração do Plano Básico Ambiental.
Frisa-se que com a implementação das condicionantes, o Estado terá melhores condições de atuar de forma preventiva e/ou repressiva. A ministra deveria, igualmente, defender a repavimentação da Rodovia BR-319, considerando as medidas de comando e controle previstas; ao contrário, ela se esquiva do Estudo de Impacto Ambiental, já aprovado em julho de 2022, cria discursos, sendo que o aumento do desmatamento ocorre em um cenário de condições precárias da Rodovia BR-319.
É mais fácil culpar a BR-319 do que admitir as dificuldades do governo em combater o desmatamento. Portanto, o problema não está nas Rodovias Federais (BR-319, BR-230, BR-364, BR-163, por exemplo), mas na incapacidade estatal em combater os ilícitos ambientais e nos discursos que são criados para inviabilizar a repavimentação da Rodovia BR-319, mantendo, via de consequência, cada vez mais distante das “mãos” do Estado os que praticam ilícitos ambientais. Por Professor Macos Mauricio
…”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



%d blogueiros gostam disto: