Vocês sabem um dos motivos do Amazonas liderar os repasses federais para a SEPROR operar o PAA/CDS? Agora mais R$ 5 milhões, além dos R$ 8 milhões.

Continua após a publicidade..

Minha Opinião:

Decisão acertada do Governo Federal em fazer o PAA/CDS com foco nas comunidades indígenas para produtos in natura, perecíveis e não perecíveis. Lembro da existência da NOTA TÉCNICA para povos indígenas que respeita o auto consumo e vai ajudar muito na compra. Ajudei na construção dessa NT no grupo da CATRAPOA.

Continua após a publicidade..

Além dos R$ 8 milhões, o governo federal, via MDS, está disponibilizando mais R$ 5 milhões ao Amazonas, para a SEPROR operar, equipe liderada pelo Tânis Guimarães.

Lembro que o pagamento é direto ao produtor rural, direto de Brasília, do Tesouro, para a conta do produtor rural, sem intermediárias.

Respondendo a pergunta do título:

Continua após a publicidade..

A equipe da SEPROR tem tido uma das mais eficientes operacionalizações do PAA em nível Brasil no estado de logística mais complexa do país. É por isso que é o estado brasileiro com maior aporte de recursos pelo governo federal/MDS e, também, por ter um público em vulnerabilidade muito grande.

Se o governador Wilson Lima passasse o PREME e o PNAE da Seduc para essa equipe da SEPROR operar certamente os problemas acabariam e o desgaste no item “comercialização” no meio rural, cuja insatisfação é grande, acabaria. Insatisfação que ficou pública nas duas audiências na ALEAM coordenadas pela FRENCOOP/OCB.

Quanto ao PAF, o correto é acabar e fazer a adesão à legislação federal que é transparente e atende todos os objetivos de um governo estadual, como feito em alguns estados.

Continua após a publicidade..

É só uma opinião de quem conhece o item “comercialização” e tem recebido várias queixas das execuções via ADS e via SEDUC no meu whatsApp.

THOMAZ RURAL

Continua após a publicidade..

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



%d blogueiros gostam disto: