“…O planejamento deve ter um olhar além das árvores, é preciso enxergar também as pessoas que ali vivem…” Petrucio Magalhães durante evento no INPA

Opinião do BLOG >

Perfeito amigo secretário Petrucio Magalhães, é isso que o governador determina, é isso que sua equipe vem buscando desde o dia 01/01/2019, mas quem rema contra infelizmente vem vencendo essa “batalha” que já chega a 60% de famílias sem ter o que comer. Até quando vamos manter os atuais interlocutores ambientais do Amazonas que, em décadas, não colocaram um centavo de REDD+, CONCESSÃO FLORESTAL e CRÉDITO DE CARBONO no bolso do guardião da floresta. Em síntese, não geraram renda com a floresta em pé e ainda trabalharam para travar e exportar empreendedores cansados de esperar a licença ambiental nos 62 municípios do Amazonas. Nessa conta ambiental ainda tem o ZEE. Tem também o Fundo Amazônia.

O AGRO está ao lado da ciência, da Embrapa, da sustentabilidade e do meio ambiente.

O meu AGRO não está ao lado de quem enrolou e enrola a política ambiental chamada ZEE. Não está ao lado de quem ignora, por exemplo, o ILPF da Embrapa. O meu AGRO não está ao lado de quem não visita a EMBRAPA. O meu AGRO não está ao lado de santuário com milhares de pobres. Acredito que nem o Papa Francisco queira isso, mas talvez nem saiba que aqui no Amazonas tem igarapé morrendo de poluição na capital e 60% com fome. Será que o Papa Francisco sabe que o Bolsa Floresta foi de R$ 50 reais por 14 anos?

Por mais que ninguém me ouça, vou ficar aqui, no meu espaço, cumprindo meu papel, defendendo a soberania e a segurança alimentar e nutricional de quem aqui vive.

THOMAZ RURAL

O objetivo do workshop é contribuir com o incentivo ao desenvolvimento de indústrias sustentáveis, agrofloresta, silvicultura sustentável e ecoturismo

O Governo do Amazonas, representado pelo titular da Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), Petrucio Magalhães Júnior, participou, nesta quarta-feira (12/07) e quinta-feira (13/07), do Workshop de Planejamento em Bioeconomia no Estado do Amazonas. O evento foi realizado no Bosque da Ciência, Auditório do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) e é uma realização da Força-Tarefa dos Governadores para o Clima e Florestas (GCF) e é exclusivo para convidados.

De acordo com a coordenadora e diretora do GCF, Colleen Scanlan Lyons, o objetivo do workshop é construir junto a pesquisadores, instituições governamentais, acadêmicos e sociedade civil, políticas públicas sobre a bioeconomia para o estado do Amazonas.

“É importante saber como os estados densamente florestados podem fazer a transição com sucesso de um modelo de negócios baseado na extração de recursos para um modelo de desenvolvimento de bioeconomia no nível estadual e que prioriza o uso renovável e sustentável de recursos naturais”, afirmou a coordenadora.

O secretário da Sepror destacou a importância de que todos os amazonenses, e principalmente os moradores de áreas mais longínquas, tenham acesso a serviços básicos essenciais como  infraestrutura de ramais, água potável, saúde, educação e comunicação.

“O planejamento realizado nesses dois dias, deve ter um olhar além das árvores, é preciso enxergar também as pessoas que ali vivem. Por isso, a importância de projetos de conservação incluírem ações sociais e de desenvolvimento econômico nas regiões onde atuam. E, para isso, é importante fazer um pacto entre os Estados da Amazônia para sanar as necessidades básicas dos povos das florestas”, destacou o secretário.

A construção do plano piloto deverá contribuir com o incentivo ao desenvolvimento de indústrias sustentáveis que utilizam os recursos florestais de forma responsável, como agrofloresta, silvicultura sustentável e ecoturismo, fomentando o uso de tecnologias e processos inovadores para agregar valor aos recursos naturais, como produção de energia a partir de biomassa e biotecnologia.

GCF

A Força-Tarefa de Governadores para o Clima e Florestas (GCF Task Force) atualmente é formada por 43 estados e províncias, situados em 11 países, de 5 continentes: Brasil, Bolívia, Colômbia, Costa do Marfim, Equador, Espanha, Estados Unidos, Indonésia, México, Nigéria e Peru. Foi fundada em novembro de 2008, por estados do Brasil, México, Indonésia e Estados Unidos, e tem se expandido desde então.

Participaram do evento, representantes da Secretaria de Meio Ambiente do Amazonas (Sema), da Universidade Estadual do Amazonas (UEA);  do Centro de Biotecnologia da Amazonia (CBA), do Departamento de Mudanças Climáticas e Gestão de Unidades de Conservação (Demuc), Fundação Amazônia Sustentável (FAS),  US Forest Service em Manaus, US Forest Service, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Secretaria de Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), entre outros.

FOTOS: Isaac Maia/Sepror

Contatos para a imprensa: Assessoria de Comunicação da Secretaria Estadual de Produção Rural (Sepror): Mayana Tomaz

Participe do nosso grupo no Whatsapp e seja o primeiro a receber as notícias do blog ThomazRural!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Participe do nosso grupo no Whatsapp e seja o primeiro a receber as notícias do blog ThomazRural!


%d blogueiros gostam disto: