Plano Safra do AM tem R$ 2,2 bilhões em seis agentes financeiros. O produtor Ademir Carvalho já recebeu R$ 49,8 mil…

Continua após a publicidade..

Opinião do BLOG >

É evidente que os R$ 2,2 bilhões não serão aplicados em sua totalidade, e já faz tempo que sabemos as razões.

Continua após a publicidade..

A pauta ambiental dos governos, assim como os seus gestores, até hoje travam o nosso desenvolvimento, esqueceram o ZEE que facilitaria o acesso aos bilhões dos planos safras (estadual e federal) referente ao crédito rural, esse que está no título dessa matéria e disponível nos seis agentes financeiros.

ZEE é instrumento da política ambiental, não fizeram, travam o desenvolvimento do interior do estado e como decorrência temos o aumento da pobreza. Os doutores em ambiente e clima não conhecem a EMBRAPA, só querem criar mais reservas e unidades de conservação. Com isso, desrespeitam a ciência e conservam a floresta, a pobreza, e o ilícito continua, o narcotráfico continua, a prostituição continua, desemprego continua etc

Não quero e nunca defendi ilegalidade, já fui gestor, mas não ter o ZEE em 20 anos é inadmissível, é visível a enrolação. Agora, para criar áreas de proteção, atendendo apelos internacionais, são rápidos.

Continua após a publicidade..

Lembro que, em 2019, quiseram criar a APA do Sauim de Coleira que pegava parte do Rio Preto da Eva e Itacoatiara. Viram a pressão, o quanto prejudicaria famílias de produtores rurais e recuaram. Ainda bem que esqueceram, pelo menos nunca mais ouvir falar disso. É só pesquisar neste BLOG que você vai ver a confusão que foi em 2019.

O governador Wilson Lima já está em seu segundo mandato, já fez declaração pública quanto ao ZEE (mas aviso ao governador que já tá parando de novo). Se o governador não mudar a agenda ambiental e seus interlocutores no Brasil e no mundo a pobreza vai continuar aumentando no Amazonas.

Em síntese, a área ambiental não conseguiu em décadas colocar um centavo de crédito de carbono, REDD+ e Concessão Florestal no bolso do guardião da floresta, e trava o financiamento rural sem ter feito o ZEE. Como vamos ganhar escala no crescimento? Já aviso faz tempo!

Continua após a publicidade..

Por fim, ter um Plano Safra executado total, parcial ou por menor que seja é super importante ao AGRO para que possamos conhecer onde trava e adotar medidas para superar os obstáculos. Plano Safra é igual a transparência no que pensa o governo estadual ou federal para o AGRO.

Espero que o AM nunca mais deixe de ter o SEU.

THOMAZ RURAL

Continua após a publicidade..

Abaixo, matéria do governo/sepror

Plano Safra Amazonas: mais de R$ 2,2 bilhões estão disponíveis para acesso ao crédito para o biênio 23/24

O investimento é parte integrante do Plano Safra Amazonas, que vem beneficiando produtores rurais do estado

O produtor rural do município de Careiro Castanho (a 88 quilômetros de Manaus), Ademir Carvalho, vem trabalhando na produção de pimentão e pimenta de cheiro há mais de dois anos, e por meio do acesso ao crédito rural, ele começará ampliar sua produção de hortaliças em sua localidade.

“Adquiri o crédito rural no valor de R$ 49,8 mil para a construção de casas de vegetação, para a produção de hortaliças. Essa é uma das fontes de renda que achei melhor para trabalhar, e graças a Deus está dando certo. Esse recurso é fundamental para desenvolver minha produção”, ressalta Ademir.

O benefício foi confirmado, nesta terça-feira (06/06), durante visita a propriedade do Ademir Carvalho, realizada pela Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável (Idam).

O investimento recorde em mais de R$ 2,2 bilhões para o acesso ao crédito rural, disponibilizados pelos agentes financeiros, fazem parte das ações do Plano Safra Amazonas 23/24, lançado pelo Governo do Estado, para o desenvolvimento sustentável do setor primário, e interiorização e diversificação da matriz econômica na região.

O secretário da Sepror, Petrucio Magalhães Júnior, ressalta que, “o crédito rural é a chave para a transformação e profissionalização das atividades produtivas no Amazonas. Seja por meio de linhas voltadas ao custeio ou para investimentos, o Governo do Amazonas tem oportunizado ações visando interiorizar o desenvolvimento econômico. Essa tem sido a marca do Governador Wilson Lima, gerar emprego, renda e mais oportunidades ao interior”.

Para acessar

Os produtores rurais que buscam o acesso ao crédito rural nos 61 municípios, e na capital, Manaus, disponibilizado pelos agentes financeiros, devem se dirigir ao escritório local do Idam de seu município, para a elaboração de projeto técnico, voltado à cultura que pretende produzir na propriedade.

“Todos os escritórios do Idam estão aptos a receber nossos produtores e elaborar com eles o projeto para financiamento. Iremos averiguar todos os documentos necessários, do agricultor e da propriedade, e dar encaminhamento às necessidades deles. Desenvolver o setor primário e garantir qualidade de vida às famílias é a missão do Idam”, disse o diretor-presidente do Idam, Daniel Borges

Ao todo, são mais de R$ 2,2 bilhões disponibilizados pelos agentes financeiros: Banco da Amazônia (Basa), no valor de R$ 1 bilhão; Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob), Sistema de Crédito Cooperativo (Sicredi) e Cooperativa de Crédito (Cresol), no valor de R$ 1 bilhão; Banco do Brasil, em R$ 190 milhões; e a Agência de Fomento do Amazonas (Afeam), no valor de R$ 72 milhões.

FOTOS: Emerson Martins/Sepror

Participe do nosso grupo no Whatsapp e seja o primeiro a receber as notícias do blog ThomazRural!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Participe do nosso grupo no Whatsapp e seja o primeiro a receber as notícias do blog ThomazRural!


%d blogueiros gostam disto: