Este seminário de AGROECOLOGIA é importante, mas os temas que menciono não podem ficar de fora do debate. É renda direta no bolso do produtor rural, não pode ser ignorada…

Continua após a publicidade..

Opinião do BLOG >

Alguns que ainda não me conhecem, não acompanharam minha vida profissional na CONAB/AM, não leram meus artigos no JC desde 2003 (quase 20 anos), nem o blog Thomaz Rural nos últimos 10 anos, pensam que eu defendo a MONOCULTURA no Amazonas. Defendo as 21, agora 22 cadeias prioritárias identificadas por técnicos do IDAM na gestão da dona Eda Oliva e Petrucio na SEPROR, lançadas no primeiro Plano Safra do Amazonas 20/21. Defendo sim a SOJA, MILHO e ARROZ no Sul do Amazonas com as tecnologias já existentes e que respeitam o meio ambiente, assim como defendo o EXTRATIVISMO e seu potencial no Amazonas.

Continua após a publicidade..

Só não posso aceitar é ter milhões para o EXTRATIVISTA, para a AGROECOLOGIA por meio da PGPMBio (Política de Garantia de Preços Mínimos da Sociobiodiversidade) e nem governos, nem ONGs fazem chegar esse recurso no bolso do guardião da floresta. Só ano passado devolvemos aproximadamente R$ 40 milhões de subvenção federal. Isso precisa entrar em pauta em Seminários como este que vai acontecer em Manacapuru.

Outro assunto é o PRONAF AGROECOLÓGICO, precisa entrar em pauta. Qual a razão de ter esse instrumento de geração de renda e desperdiçarmos. Já divulguei os números.

Mais um assunto, o PRONAF FLORESTA, qual a razão de não andar no Amazonas?

Continua após a publicidade..

Nesses seminários tem que ter abertura para esses temas que já tem programa, já tem recurso, inclusive desperdiçado, e que não avançamos. Tem alguns doutores do clima e ambiente que não querem que isso avance, e querem calar a voz de quem levanta esses assuntos em grupos de zap e fóruns.

Lógico que queremos alimentos saudáveis, mas como reduzir o uso de agrotóxicos se esse programa e políticas geradores de renda não fazemos chegar no bolso de quem está na floresta.

Por fim, seminários de agroecologia tem que pautar a falta do ZEE, o insignificante acesso à PGPMBio, falta de preço justo a produtos que sabidamente são orgânicos e não são pagos dessa forma. Acesso ao crédito dos PRONAFs agroecológicos, assim como um tabela de compras públicas de orgânicos com valor real, não agregando 30% em cima do convencional. Nada do que disse precisa de estudo, já existe, falta chegar no público alvo, mas tem uns que não querem que isso aconteça.

Continua após a publicidade..

São sugestões de quem viveu durante 35 anos essas pautas.

De parabéns a UEA, FAPEAM e SEDECTI pela iniciativa. Acredito que minhas sugestões possam ajudar, porque tem alguns nomes que adoram falar em AGROECOLOGIA, mas esquecem de debater renda no bolso de quem preservou e preserva a floresta.

THOMAZ RURAL

Continua após a publicidade..

http://www.fapeam.am.gov.br/seminario-apoiado-pelo-governo-do-amazonas-debate-sobre-agroecologia-e-sustentabilidade-em-manacapuru/

A primeira edição do Seminário de Agroecologia e Sustentabilidade na Amazônia ocorrerá nos dias 25 e 26 de maio, no município de Manacapuru (distante 68 quilômetros de Manaus). O evento que recebe fomento do Governo do Amazonas, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), é promovido pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA), e visa reunir profissionais, produtores rurais locais e estudantes para debater temas gerais e da atualidade sobre o cenário da agroecologia.   

Uma série de ações estão programadas para ocorrer durante os dois dias de evento, que será realizado em formato híbrido (presencial e online), como palestras, mesas redondas e exposição de banners. A ação recebe fomento via Programa de Apoio à Realização de Eventos Científicos e Tecnológicos (Parev), da Fapeam, edital Nº 002/2022.  

Os interessados em participar podem fazer a inscrição para a modalidade online, por meio do link: https://www.even3.com.br/i-seminario-de-agroecologia-e-sustentabilidade-na-amazonia-330520/.  

A agroecologia é a ciência que fornece princípios ecológicos básicos para o estudo e tratamento de ecossistemas produtivos, visando um ambiente sustentável, justo e economicamente viável. 

Fapeam-Seminário de Agroecologia e Sustentabilidade na Amazônia- Foto-Divulgação

Um dos temas a serem discutidos será a importância da produção agroecológica para a promoção de um ambiente produtivo e ao mesmo tempo sustentável, buscando contribuir para redução do uso de agrotóxicos, desmatamento acelerado e desequilíbrio ambiental.   

Para a coordenadora do evento, a doutora em Biotecnologia, Raquel Correa, da UEA, campus Manacapuru, o evento irá permitir a troca de informações nas áreas de ciência e tecnologia, no que se diz respeito à produção animal e vegetal, com princípios agroecológicos, assim como a formulação de novas estratégias que poderão ser úteis para elaboração de políticas públicas, visando o bem-estar ambiental e social.  

“Esperamos que as divulgações de pesquisas científicas contribuam para atualização de profissionais e produtores presentes”, destaca Raquel Correa.  

Parev

O edital apoia a realização de eventos regionais, nacionais e internacionais, nas modalidades presencial, virtual ou híbrida, sediados no estado do Amazonas, relacionados à ciência, tecnologia e inovação como congressos, simpósios, workshops, seminários, ciclo de palestras, conferências e oficinas de trabalho, visando divulgar resultados de pesquisas científicas e contribuir para a promoção do intercâmbio científico e tecnológico.  

“A Fapeam mais uma vez oportuniza a realização de um grande evento de importância científica e tecnológica no interior do estado. Por meio da fundação, a atualização científica tem chegado às cidades do interior. Essa ação valoriza estudantes e profissionais do estado, além de divulgar as pesquisas realizadas”, finalizou a pesquisadora.  

Por: Esterffany Martins/Decon Fapeam

Arte divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



%d blogueiros gostam disto: