Quem não quer R$ 1.200,00 reais no bolso. Inédito no AM! Inédito no Norte! Em breve, o primeiro pagamento

Continua após a publicidade..

Opinião do BLOG >

Apesar de existir há vários anos, essa conquista foi fruto dos insistentes apelos da FAEA, OCB e FETAGRI nos documentos entregues aos candidatos a governo estadual. Só o secretário Petrucio Magalhães conseguiu pautar o assunto com o governador Wilson Lima para que acontecesse a ADESÃO ao programa federal. Nenhum outro secretário que já passou pela SEPROR conseguiu sensibilizar o governador de plantão na “Compensa”. Acompanhei quase todos, pois este tema eu que trouxe ao Amazonas, nenhuma ONG, nenhum governador, nenhum parlamentar, nem era minha obrigação, pois nunca foi operado pela CONAB, mas via que acontecia no Nordeste. Esse programa é para o ribeirinho atingido por enchente e SECA, mesmo assim ninguém ligou, só muito papo. E tem mais, em breve, estará saindo o primeiro pagamento no Amazonas da safra 2021/2022. O processo é feito pelo governo federal, é lento, precisa ser mais rápido e ser ainda mais diferenciado no Amazonas. O pagamento vem direto do governo federal na conta do ribeirinho. Espero que os parlamentares aliados do atual governo federal se mexam, façam alguma coisa para tornar o processo mais rápido e sem comprovação de perda no Amazonas gigante porque já tem órgãos oficiais e satélites que comprovam a área alagada e/ou seca, sem a demorada e exigida visita in loco.

Continua após a publicidade..

Só o AM está incluído no Norte, os outros estados devem pleitear. Quem não quer R$ 1.200,00 reais no bolso nos momentos mais difíceis da vida?

THOMAZ RURAL

O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror) e coordenação estadual do Programa Garantia Safra 22/23, concluiu, sábado (29/04), com apoio do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam), a etapa de inscrição de agricultores familiares da Calha do Juruá, dando prosseguimento ao processo de implementação do programa Garantia Safra 2022/2023 em sete municípios, totalizando 1.387 inscritos. Seguem agora os processos de classificação, homologação e adesão, para que sejam definidos os casos reais de necessidade de pagamento do benefício através do processo de verificação de perdas.

Continua após a publicidade..

A informação é do coordenador do Garantia Safra no Amazonas, Heitor Liberato, ao anunciar que as próximas etapas do processo são a classificação e homologação dos inscritos no sistema próprio do programa, junto ao Ministério do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (MDA).

“Na sequência teremos o período de adesão dos inscritos, com aportes das participações de cada ator durante o processo, e, por último, a análise dos órgãos que definem a realidade das eventuais perdas de safra em cada município, para validar a necessidade de pagamento do benefício aos agricultores familiares considerados aptos. Esta última etapa compete ao Idam, juntamente com o Instituto Nacional de Metereologia (INMET), Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN) e o Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável (CMDRS), disse Liberato.

Por fim, o coordenador destacou a atuação do Idam, por meio dos técnicos dos escritórios locais em cada município, “que não mediram esforços para chegar às mais distantes propriedades, utilizando diversos meios de locomoção via rios e estradas, para confirmar a realidade de cada agricultor familiar inscrito no Garantia Safra nos municípios de Carauari, Eirunepé, Envira, Guajará, Ipixuna, Itamarati e Juruá”.

Continua após a publicidade..

Garantia Safra – O estado do Amazonas é o único com cobertura diferenciada aprovada pelo MDA para dois períodos previstos dentro do Programa Garantia Safra: ocorrência de cheia e estiagem nas áreas plantadas dentro do prazo estabelecido para cada safra.

O programa é um benefício do Governo Federal, subordinado ao MDA, para apoiar agricultores familiares que estejam em municípios de determinadas áreas que tenham tido perdas de produção por problemas climáticos e necessitam de recursos para a segurança alimentar. O valor de cada benefício é de R$ 1.200,00.

FOTOS: Divulgação/Sepror

Continua após a publicidade..

Contatos para a imprensa: Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror): Mayana Tomaz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



%d blogueiros gostam disto: